Saiba tudo sobre o uso de máscaras de prevenção

Há quase um ano, a rotina mudou em todo o planeta. Com a pandemia do coronavírus foi necessário adotar medidas que ajudassem a prevenção da doença. Além de passar álcool em gel, lavar as mãos e manter o distanciamento social, foi observado que o uso de máscaras de tecido também contribuía para evitar o contágio.

Assim, o uso obrigatório de máscaras em locais públicos passou a ser parte da rotina de cuidados com a saúde. Mesmo se você estiver na rua e não encontrar nenhuma pessoa utilizando o equipamento, deverá se proteger e usar esse item.

Por que todos devem usar a máscara?

No começo da pandemia, o uso obrigatório de máscaras restringiu-se aos profissionais de saúde e às pessoas com suspeita da doença ou saúde debilitada. Depois, foi comprovada a eficácia do acessório como uma forma de prevenção, passando a ser utilizado por toda a população.

Essa medida foi importante, pois há casos que não manifestam sintomas. A pessoa está com o vírus e o transmite, mas nem imagina que foi contagiada. Assim, com a máscara, é possível impedir que gotículas de saliva espalhem-se pelo ar e cheguem até outro indivíduo, reduzindo as chances de transmissão.

Como a proteção funciona?

Seja de tecido ou descartável, a máscara impede que gotículas de saliva cheguem até você ou outra pessoa. Além disso, se houver o cuidado de não tocar o objeto com as mãos durante o uso (deve-se retirá-la pelo elástico no momento da troca), a proteção torna-se ainda mais efetiva.

Como o vírus é transmitido pelo ar, e o ato de tossir, espirrar ou falar lança gotículas no ambiente, a máscara irá impedir que você entre em contato com as secreções. Inclusive, um estudo feito em 2020 mostrou que se uma pessoa contaminada estivesse sem máscara e espirrasse em um corredor de supermercado, poderia contagiar quem estivesse nos próximos seis corredores. Isso sem contar que o vírus poderia ficar nos produtos de todos esses locais.

Qual é o tempo máximo de uso?

É recomendado usar as máscaras cirúrgicas descartáveis e aquelas feitas de tecido por até duas horas ou enquanto estiverem secas e limpas. Quando ficam úmidas, devem ser trocadas. As versões cirúrgicas são jogadas no lixo, enquanto as de tecido são separadas para lavagem.

Existem versões que duram mais tempo, como as máscaras N95, que podem durar por até 15 dias, desde que limpas e completamente secas. Elas também são descartáveis após perderem a utilidade e não devem ser lavadas para uso posterior.

O ideal é nunca ultrapassar o tempo máximo de uso recomendado, nem permanecer com a mesma máscara após tossir, espirrar ou notá-la úmida. Por isso, caso seja necessário sair de casa, carregue várias delas com você, para trocá-las sempre que precisar.

Como limpar a máscara de tecido?

O público tem dado preferência para as máscaras de tecido. No entanto, com o objetivo de obter mais proteção, as opções antivirais têm sido bastante procuradas. Ainda assim, ambas devem ser limpas após o uso, por mais que as máscaras antivirais permitam a troca a cada três ou quatro horas, ou seja, duram mais tempo que as de tecido simples.

Para lavar a máscara, coloque-a em uma bacia com água e sabão neutro. Ela pode ficar de molho em água sanitária ou alvejante sem cloro, mas sempre precisa ser lavada à mão.

Depois, deixe-a secar à sombra e finalize passando-a com ferro em ambos os lados. Em seguida, guarde-a em uma embalagem plástica. Assim, é garantido que a máscara estará novamente pronta para uso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *