Marketing de afiliados: você sabe o que é?

Uma das buscas mais comuns na internet é sobre maneiras de se fazer algum dinheiro. Um dos modos mais promissores e democráticos é, sem dúvida, o do programa ou marketing de afiliados.

De fato, com o crescimento das redes sociais e dos motores de busca, as pessoas têm passado cada vez mais tempo conectadas. Inclusive, o Brasil está entre os cinco países que mais utilizam a internet no mundo inteiro.

Os dados são do próprio IBGE. No caso do marketing de afiliados, um dos pontos mais positivos é o de que você pode se rentabilizar de maneira autônoma. 

Ou seja, fazendo seus próprios horários e trabalhando do seu jeito.

O que não quer dizer que seja apenas “um bico”, pois, com planejamento e disciplina, você pode se tornar uma autoridade no assunto.

Se você quer entender melhor como isso funciona, basta seguir adiante na leitura.

Por dentro dessa modalidade

Do que já dissemos deu para vislumbrar algo essencial: o marketing de afiliados nada mais é que uma relação comercial entre uma pessoa (um afiliado) e uma marca (vendedora/produtora).

Naturalmente, o foco dessa relação comercial é impulsionar as vendas. Ou seja, o afiliado ajuda a marca a divulgar sua solução, sejam eles serviços ou produtos.

“Ah, então é como ser um vendedor daquela empresa?”. Sim, basicamente. 

Contudo, é preciso levar em conta que, nas últimas décadas, o marketing digital revolucionou vários aspectos comerciais e publicitários do mercado.

É o caso do marketing de afiliados. Em vez de sair batendo de porta em porta para vender algo, como o serviço de limpar pontos cnh, você simplesmente vai se utilizar de sua influência digital para atrair pessoas que estejam precisando disso.

De modo igualmente inovador, existem estratégias de rastreamento e metrificação que permitem identificar quantas pessoas você conseguiu. Ou seja, quantas acessaram determinada página de vendas, quantas compraram, e daí em diante.

Com isso, sua comissão estará garantida e você terá controle total de cada etapa que for pertinente para você no processo, desde a captação até a conversão dos leads.

Quais são as maiores vantagens?

Também já deve ter ficado claro que, nessa área de marketing digital, não é preciso ter diploma em nenhuma área específica, falar várias línguas ou ainda fazer altos investimentos iniciais.

Para a marca ou empresa contratante as vantagens vão no mesmo sentido, já que ela não precisa criar vínculos, pagar salários fixos e garantir uma série de encargos trabalhistas para uma equipe comercial que, muitas vezes, fica abaixo da expectativa.

Você já deve ter ouvido falar nos famosos influencers, que são os internautas capazes de influenciar seus seguidores.

Eles são os formadores de opinião, e justamente por isso se tornam uma autoridade, muitas vezes para falar de assuntos os mais variados possíveis, desde política e esportes até dicas de saúde e de soluções corriqueiras.

É aí que entra, no meio das postagens comuns, algo como o dia em que aquele influencer desfrutou de um serviço como raio x veterinário, para o pet que ele tem.

As maneiras de o afiliado gerar tráfego, contudo, vão além das redes sociais, e incluem também os blogs e vlogs, no que entra o famoso marketing de conteúdo.

Envolve ainda os motores de busca e a otimização de páginas, por meio do SEO (Search Engine Optimization).

Os primeiros passos rumo ao sucesso

O primeiro passo para trabalhar nesta área, portanto, é o da facilidade com a geração de conteúdos. Você pode ser desinibido e fazer excelentes vídeos, que vão viralizar qualquer solução que você indicar.

Por outro lado, pode ser mais acanhado e, ainda assim, gerar excelentes conteúdos escritos, ou mesmo por imagem, e com isso, atrair igualmente uma multidão de pessoas.

Portanto, comece encontrando sua própria voz, gerando um público fiel e engajado, depois vá migrando. A vantagem é que você vai escolher marcas que tenham a ver com você, com seu público, e tudo irá evoluir de modo orgânico.

Há, ainda, vários modos de você monetizar seus serviços, tais como:

  • CPC: Custo por Clique;
  • CPA: Custo por Ação;
  • CPM: Custo por Mil Impressões;
  • CPV: Custo por Vendas;

Ou seja, não depende tanto do produto, mas da campanha e do momento que a marca vive.

A empresa pode trabalhar com sinalização horizontal preta, e na loja virtual buscar mais vendas, porém no blog buscar mais cliques.

Com isso vemos como a geração de conteúdo, e todo esse universo de afiliados e influencers, pode ser uma ótima oportunidade de renda extra, e até mesmo de carreira.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *