Infecção urinária na gravidez: Sintomas e Tratamento

Infecção urinária na gravidez: Sintomas e Tratamento

Uma infecção do trato urinário (ITU), ou comumente chamada de infecção do trato urinário, pode ser um problema comum entre mulheres grávidas.

Mudanças no corpo feminino como resultado da gravidez promovem o crescimento de bactérias no trato urinário e, como resultado, aumentam a probabilidade de surtos da doença.

Embora não seja incomum que uma mulher grávida tenha esse tipo de problema (pelo menos uma vez enquanto o bebê ainda está no útero), é importante que a pessoa saiba como identificar a infecção antes que ela piore. Portanto, é muito importante conhecer os principais sintomas e quais os métodos mais utilizados no seu tratamento.

Sintomas de infecção urinária

Devido aos muitos fatores biológicos associados à gravidez, uma infecção do trato urinário é difícil de detectar durante este período. Por isso, é muito importante que a gestante que apresentar algum sintoma de desconforto ao urinar consulte seu obstetra ou ginecologista para exame de urina e, se necessário, inicie imediatamente o tratamento.

Infecção urinária na gravidez: Sintomas e Tratamento

Embora seja um problema sério, uma infecção do trato urinário pode ser tratada rapidamente sem causar complicações de saúde mais sérias para a mulher grávida e o bebê.

Portanto, preste atenção aos seguintes sinais:

  • Dor ou ardor ao urinar;
  • Uma sensação de incapacidade de esvaziar a bexiga;
  • Necessidade frequente e repentina de urinar um pouco;
  • Urina turva ou com sangue;
  • Desconforto na área da bexiga;
  • Febre entre 37,5 ° C e 38 ° C por longos períodos de tempo.

Embora sintomas como vontade frequente de urinar e desconforto na bexiga possam ser problemas recorrentes para uma mulher grávida, é importante que qualquer mudança nos hábitos corporais seja relatada a um profissional de saúde qualificado para que possa ser tratada.

Diagnóstico de ITU

Como mencionado, uma infecção do trato urinário pode ser diagnosticada com um exame de urina de rotina. Frequentemente, os ginecologistas e obstetras exigem que o procedimento seja realizado pelo menos uma vez a cada trimestre, tentando identificar e tratar as infecções o mais rápido possível, mesmo que não haja sintomas.

Além disso, nos casos em que não é possível consultar o médico rapidamente, as mulheres também podem comprar exames que são vendidos na farmácia e podem ser feitos em casa. O método consiste em imergir a tira teste na urina coletada em um recipiente plástico desinfetado.

O resultado, além de muito simples, aparece em poucos minutos e ajuda a confirmar a suspeita de uma ITU. Após um teste positivo, a gestante pode ir ao médico com os resultados e iniciar o tratamento imediatamente.

Como uma infecção do trato urinário é tratada?

Normalmente, os casos de ITU são tratados com antibióticos por um período de 7 a 14 dias, como com cefalosporina (cefalexina), penicilina (amoxicilina, clavulanato de amoxicilina) ou nitrofurantoína, que são usados ​​para tratar várias condições. Infecções bacterianas.

No entanto, há momentos em que uma mulher pode estar tomando esses medicamentos e, portanto, o ginecologista ou obstetra deve considerar outras alternativas. Por exemplo, uma cultura de urina é um teste laboratorial adicional que pode ajudá-lo a determinar que tipo de microrganismo está causando a infecção do trato urinário e a escolher o tratamento mais eficaz.

Além disso, as mulheres grávidas podem e devem usar alguns dos tratamentos para o trato urinário durante a fase de recuperação. Beber muita água, não reter a urina e esvaziar a bexiga o máximo possível sempre que for ao banheiro são algumas orientações para ajudar seu corpo a se recuperar totalmente.

Quais são os riscos de agravar uma ITU?

Se não for tratada rapidamente, uma infecção do trato urinário pode causar muitos problemas para a mulher grávida e seu bebê. Em casos mais graves, a infecção bacteriana pode eventualmente progredir para os rins e possivelmente progredir para uma infecção generalizada com várias outras complicações e até mesmo a possibilidade de morte.

Além disso, as ITUs mais sérias podem levar ao nascimento prematuro, abortos espontâneos ou aumentar o risco de mortalidade infantil após o nascimento. Finalmente, os bebês que nascem com essa complicação do parto podem ter maior probabilidade de desenvolver pneumonia e asma na infância.

Dificuldade para escolher um plano de saúde? Confira algumas Dicas para escolher um bom plano de saúde!

Continue lendo nosso site!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *