3 de junho de 2018

Moro acolhe pedido de Lula e impede contestação

O juiz federal Sérgio Moro responsável pelas ações da Operação Lava Jato no Paraná, maior operação contra a corrupção no país, decidiu autorizar o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva a substituir algumas testemunhas de defesa que prestarão depoimento pessoal junto ao magistrado. 

A alteração se refere às reformas milionárias ocorridas no Sítio em Atibaia, interior de São Paulo, que é atribuído a Lula como fruto e corrupção.

O líder petista, que foi condenado pelo caso tríplex em Guarujá (SP), se encontra preso em cumprimento de pena desde o dia 7 de abril, na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, no Paraná.

Moro achou por bem conceder as substituições necessárias à defesa do petista.

Com a atitude, o magistrado suspenderá automaticamente possíveis questionamentos de advogados de Lula junto ao Judiciário. Desta feita, acolheu as alterações de Miriam Belchior, ex-ministra do Planejamento do governo Dilma, para a entrada de o cantor Gilberto Gil, que atuou como ex-ministro do petista na pasta da Cultura.

Neste caso, a juntada das substituições deverá ser imediata aos autos. O juiz autorizou ainda a recolocação de mais três testemunhas, caso houvesse interesse.