7 de março de 2018

Operação Trapaça: Brasileiro continua comendo carne podre mesmo após tantas denúncias e prisões

O ex-diretor-presidente global da BRF Brasil Foods Pedro de Andrade Faria e outras nove pessoas — oito ligadas à empresa e uma gerente de um laboratório que prestava serviço para a companhia — foram presos na manhã desta segunda-feira (5), na terceira fase da Operação Carne Fraca, denominada Trapaça.




Eles irão responder por falsidade documental, estelionato qualificado e formação de quadrilha ou bando, além de crimes contra a saúde pública.


A investigação da Polícia Federal (PF) aponta que três unidades de produção de frango da BRF – em Carambeí (PR), Rio Verde (GO) e Mineiros (GO) – fraudavam os resultados dos exames para a presença da bactéria salmonela. Uma fábrica de produção de ração da empresa, em Chapecó (SC), e três laboratórios que faziam testes de qualidade com os produtos também são investigados.