21 de março de 2018

Não vamos deixar a Operação Lava Jato morrer, diz Sergio Moro em reunião com Dallagnol

O juiz paranaense confronta ministros da Corte e tem forte reação para não deixar morrer a Lava Jato. A condenação de Moro pode ser interpretado como um recado ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Resultado de imagem para Sergio Moro

O juiz federal Sérgio Moro determinou nesta segunda-feira (19) a prisão do empreiteiro Gérson Almada, da Engevix, que foi condenado em segunda instância pelo Tribunal Regional Federal da 4° Região (TRF-4). Almada deve se apresentar na carceragem da Polícia Federal (PF), em Curitiba (PR), nesta terça-feira (20).

Ele havia sido condenado na primeira instância a 19 anos de prisão, e os desembargadores do TRF-4 aumentaram a pena para 34 anos. Ele é acusado de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Os caminhos do petista tendem a ser os mesmos de Almada. Quando o TRF-4 liberar o processo para a execução provisória de Moro, o magistrado poderá decretar a prisão de Lula. A grande possibilidade de isso acontecer é no dia 26 de março, quando o TRF-4 vai julgar o recurso impetrado pela defesa de Lula.