21 de dezembro de 2017

Impostos vão aumentar em 2018 para equilibrar orçamento, diz Governo Federal

Nesta quarta-feira (20), o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, fez reuniões por teleconferência com representantes das agências Moody’s, Fitch e Standard & Poor’s. 



Após o anúncio do adiamento para fevereiro da votação, na Câmara dos Deputados, da reforma da Previdência, na última quinta-feira (14), a agência de classificação de risco Moody’s soltou um alerta sobre o impacto da demora na votação na nota de crédito do país. 

No mesmo dia, o ministro disse que a equipe econômica não está aberta a novas negociações da reforma e que iria esclarecer a situação com as agências de rating.

Para tranquilizar as agências, Meirelles disse que apresentou a condição fiscal e lembrou que o Brasil ainda pode adotar medidas, tanto no curto quanto no médio e longo prazo, para equilibrar as contas. 

"A questão fundamental é que existem medidas a serem tomadas. Existem medidas que estão sendo estudadas e que poderão ser tomadas, como neste ano, o contingenciamento", disse o ministro.