21 de dezembro de 2017

Em menos de 24 horas, Gilmar Mendes desafia o Brasil e toma cinco decisões contra o país

Em menos de 24 horas, o ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), tomou cinco decisões que se tornaram alvo de protestos. 



Às vésperas do recesso do STF, o magistrado mandou libertar investigados, criticou delação premiada, suspendeu investigação, vetou o uso da condução coercitiva e ainda bateu boca com colega da Corte.

Gilmar Mendes assumiu as posições dois dias antes do início do recesso no Supremo, que começa nesta quarta-feira (20). Após a parada para as festas de fim de ano, o STF contará ainda com férias coletivas durante todo o mês de janeiro. 

Com isso, as decisões tomadas monocraticamente pelo ministro só poderão ser analisadas pelo plenário quando a Corte retomar suas atividades, em fevereiro.

1. Prisão domiciliar para a mulher de Sérgio Cabral.
2. Proibição da condução coercitiva.
3. Gilmar e Toffoli barram denúncias contra 4 políticos.
4. Suspensão de inquérito contra governador do Paraná, Beto Richa.
5. Liberdade ao empresário das ‘quentinhas’, Marco Antonio de Lucca, no escândalo de corrupção do governo de Cabral no Rio.