16 de outubro de 2017

Dilma é surpreendida com bloqueio de bens enquanto 'torrava' dinheiro na Europa

Desde que o Tribunal de Contas da União anunciou os bloqueios de bens da ex-presidente Dilma Rousseff, do ex-Presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli e de outros petistas graúdos envolvidos na compra criminosa da refinaria de Pasadena, a internet não fez outra coisa que não lembrar do mantra petista de que “Dilma era uma mulher honesta”. 



O mantra é de fato vergonhoso, mas nunca foi a questão mais importante do debate “no que se refere” a Dilma. Ao menos não deveria ser. Dilma nunca deixou motivos para que desconfiança sobre sua falta de ética. 

Uma mulher que começa militando na política de armas na mão para instaurar um regime totalitário comunista no país, que participou do plano criminoso de poder do Partido dos Trabalhadores até ser empossada presidente em duas campanhas criminosas e que se comunicava com seus marqueteiros jagunços por meio de um email alusivo ao covarde assassinato do soldado Mario Kozel Filho não é do tipo que deixa alguém em dúvida. Sobre ela só tínhamos certezas, já que sua índole suja era de conhecimento notório.