1 de junho de 2017

Lula se faz de vitima e convoca PT e MST para guerra contra PF e Sergio Moro

"Me senti um prisioneiro', diz ex-presidente Lula

A alma santa do Brasil, o homem mais honesto do mundo. Menos de três horas após prestar depoimento à Polícia Federal, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou na tarde desta sexta-feira (4) que se sentiu um “prisioneiro”. A declaração foi dada durante entrevista a jornalistas no diretório do PT, na área central de São Paulo.



Lula foi alvo na manhã de hoje de um mandado de condução coercitiva (quando a pessoa é obrigada a depor) durante a 24ª fase da Operação Lava Jato. Policiais federais estiveram logo cedo na casa dele, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, e o conduziram até o posto da Polícia Federal no aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital.

O ex-presidente prestou depoimento durante cerca de quatro horas. Ele é investigado pela força-tarefa da Lava Jato por ter recebido R$ 30 milhões, entre 2011 e 2014, de empreiteiras envolvidas no esquema de corrupção da Petrobras. Para o Ministério Público Federal, há evidências de que Lula recebeu dinheiro desviado da estatal.

“Me senti prisioneiro hoje de manhã. O [Sérgio] Moro [juiz responsável pela Lava Jato] não precisava ter mandado uma coerção na minha casa de manhã. O [Sérgio] Moro não precisaria ter mandado uma coerção na minha casa, na casa de meus filhos, da casa de companheiros. Lamentavelmente preferiram utilizar a prepotência, um show, um espetáculo de pirotecnia”, declarou o ex-presidente.