9 de maio de 2017

Lula quer transformar interrogatório em ato político, diz Moro

O juiz federal Sergio Moro rejeitou nesta segunda-feira o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para mudar o ângulo de gravação do interrogatório do petista, que acontecerá nesta quarta-feira. 



No despacho, o magistrado escreveu que Lula quer transformar o depoimento em um “evento político-partidário”, cujo propósito é estranho e proibido à ação penal em que responde por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá (SP).

A defesa do ex-presidente alegava que o foco da câmera exclusivo no acusado — que é padrão nas oitivas de réus e testemunhas da Lava Jato — geraria uma “imagem negativa” e “inferiorizada” de Lula, violando, assim, no seu entendimento, a presunção de inocência. 

Por isso, os advogados pediam que a câmera registrasse o que se passava em todo o recinto e não apenas o depoimento. Em petição na sexta-feira, sugeriram, inclusive, que as imagens fossem feitas pelo fotógrafo oficial de Lula, Ricardo Stuckert