29 de maio de 2017

Com declarações de Cerveró, Brasil está a beira de uma Intervenção Militar

Não é mais segredo para ninguém, o poder explosivo da delação do ex-diretor da Petrobrás, Nestor Cerveró. A cúpula do PMDB, partido que equilibra-se no poder, desde o primeiro dia da implantação do regime militar no Brasil, a partir de 1964, está vivendo um estado de “pânico e pavor” sem precedentes. 



Nem mesmo a cassação de dezenas de parlamentares com a edição do AI 5, foi tão devastadora para o partido, como as denúncias de envolvimento no maior escândalo político/administrativo do Brasil, a Lava jato.

Não vai escapar ninguém. 80 por cento dos atuais parlamentares com assento no congresso nacional, ex-ministros, atuais ministros, governadores e alguns magistrados com assento nos tribunais superiores.

Não cabe mais especular a situação incômoda  e insustentável dos Ministros Falcão e Ribeiro Dantas no STJ e Augusto Nardes e Cedras do TCU.

Definitivamente caminham de mãos dadas as ações que terão de ser implementadas nesta segunda pelo STF e pelo governo Temer.  A Corte Superior de Justiça caberá a missão de publicizar todos os procedimentos que envolvam políticos com e sem mandato, determinando ações objetivas, capazes de estancar o reiterado crime de obstrução do trabalhos da justiça, definido no artigo 312 do Código de Processo Penal.  Ao governo Temer  caberá a  missão de cumprir com o compromisso de fazer uma “limpeza ética” nos  setores públicos mais contaminados com  a “ideologia bolivarianista”, herança maldita do governo petista.

Informações: Cristal VOX