10 de março de 2017

Justiça Federal sequestra cobertura de 1,5 milhão usada por Lula

A Justiça Federal sequestrou a cobertura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em São Bernardo, no começo do mês de Fevereiro, após o pedido do juiz federal Sergio Moro, que apurou que o imóvel foi comprado com dinheiro de propina da empreiteira Odebrecht.



O apartamento pertence a Glaucos da Costamarques, primo do pecuarista José Carlos Bumlai, e que o sequestro não impede Lula de continuar no imóvel.

O imóvel 121 é alugado e ocupado por ele desde os tempos em que era presidente da República e, é vizinho a um outro apartamento, este de propriedade de Lula. O sequestro é uma medida judicial que impede a venda do imóvel, mas não altera a posse. Em relato por escrito, a oficial de Justiça e avaliadora Edilamar Dormas afirmou ter entrado em contato com a segurança do ex-presidente no dia 6 de fevereiro, quando foi informada que ele não poderia recebê-la, por estar de luto. Dona Marisa Letícia havia falecido três dias antes, no dia 3.