22 de outubro de 2015

'Sequestramos' todas as contas de Eduardo Cunha na Suíça, diz ministro do STF

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki decretou o sequestro dos recursos que estão em contas em nome do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e de sua esposa, Cláudia Cruz, na Suíça, informou a assessoria de imprensa da corte nesta quinta-feira. Zavascki atendeu a pedido da Procuradoria-Geral da República para garantir que os recursos estejam disponíveis para serem confiscados caso o presidente da Câmara seja considerado culpado de participação no esquema de corrupção na Petrobras.

"A acusação demonstrou quais seriam os valores de origem ilícita sobre os quais recairia a medida (sequestro), além de fazer uma minuciosa análise sobre a sua suposta origem", escreveu Zavascki em sua decisão.

Mais cedo nesta quinta, Zavascki já havia negado um pedido da defesa de Cunha para declarar sigiloso o inquérito sobre as contas não declaradas em seu nome e de familiares na Suíça. sigiloso.



"O pedido foi específico e individualizado, no sentido de serem sequestrados valores existentes em contas identificadas e mantidas na Confederação Suíça de titularidade do deputado federal Eduardo Cunha e aqueles que teriam sido transferidos para conta de sua esposa Cláudia Cordeiro Cruz, com fortes indícios de serem provenientes 'de corrupção e lavagem de capitais envolvendo o parlamentar e seus familiares como desdobramento das investigações relativas à corrupção em contratos firmados pela Petrobras'”, acrescentou o ministro.