11 de março de 2015

Diante dos protestos, governo monitora redes sociais. Até Whatsapp está na mira.

monitoramento

A incompetência em cuidar do país é gritante, mas parece que em alguma outra área o governo pretende não dar fiasco: monitoramento das redes sociais. Até o Whatsapp está na mira. Vejam trecho da coluna publicada há pouco por Gerson Camarotti, no G1:
Planalto intensifica monitoramento de redes sociais para dimensionar protestos– Pego de surpresa pelos protestos durante o pronunciamento de Dilma, o Palácio do Planalto intensificou o monitoramento de redes sociais para saber o alcance das próximas manifestações contra o governo e a presidente Dilma. Há reconhecimento interno que o monitoramento feito até então não conseguia detectar mobilizações em redes sociais mais restritas, como o Whatsapp, e teve um efeito inesperado no último domingo com o panelaço e o buzinaço em grandes cidades do país.” (grifos nossos)
Até então não conseguia? Agora consegue? Isso seria o “intensificar” do título? Pois é… Complicado. Dilma Rousseff deveria dedicar-se a cuidar do país, e não do que falamos no Facebook, Twitter ou até Whatsapp. Mas, se estão mesmo acompanhando, então já devem saber que a insatisfação é geral.
Em tempo: confira aqui o MANIFESTO CONJUNTO de MBL, Reaçonaria, Os 20 do Masp, Turma do Chapéu e Implicante. Pedimos à imprensa cobertura limpa, sem a adoção de partes pelo todo ou estigmatização de estereótipos a fim de desmerecer o movimento. Contamos com todos vocês para divulgar esse manifesto!