Pular para o conteúdo principal

Paraná: Passagem de onibus de Região Metropolitana para Curitiba é de R$5,80.


Entrou em vigor nesta quinta-feira (19) o novo valor da passagem de ônibus em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba. A nova tarifa, de R$ 5,80, será paga por passageiros que precisam se deslocar até a capital paranaense. Já o valor para circular dentro da cidade é de R$ 2,50 para pagamento com o cartão transporte do município e R$ 3,30 para quem paga a passagem com dinheiro.
Com a diferença nos valores, algumas mudanças precisaram ser feitas no terminal central de Araucária. O local, que até o início dessa semana possuía uma única entrada, passou a ter duas após o fim da integração das redes urbana e metropolitana.
Os passageiros que chegam ao terminal, precisam sair e passar por uma nova catraca para pegar, em outra ala, os ônibus que levam a Curitiba. Para isso, é necessário pagar o novo valor da passagem, de R$ 5,80. No primeiro dia após as alterações, um grupo protestou em frente ao terminal.
“Vamos deixar bem claro que isso é uma tremenda palhaçada que estão fazendo com o trabalhador. Não só em Araucária, mas com a população da Região Metropolitana inteira”, disse o vigilante Jean Xavier.

Os passageiros, que até quarta-feira (18) pagavam R$ 3,30 para usar tanto os ônibus urbanos quanto os metropolitanos, agora precisam desembolsar mais dinheiro para seguir até a capital paranaense. Isso significa que aqueles que gastavam R$ 6,60 para ir e voltar de Curitiba vão desembolsar, no mínimo, R$ 11,60 para fazer o mesmo trajeto, são R$ 5 a mais por dia.
Para o presidente de uma associação de bairros de Araucária, Nelson Moreira, que paga as passagens com dinheiro, o transporte custará o dobro. “Como é que nós vamos pagar? Eu tenho uma filha que estuda em Curitiba e vai pagar R$ 13,20 por dia e eu vou pagar o mesmo valor para ir trabalhar. Eu ganho R$ 1.300 por mês, você acha que eu vou ter condições de pagar?”, questiona Moreira.
Além da mudança nas entradas, foi colocada uma tela para separar os dois terminais. De acordo com a Prefeitura de Araucária e a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), a mudança foi necessária por causa da administração das duas redes de transporte.
“Hoje nós temos que administrar o nosso próprio sistema urbano e a Comec, a rede metropolitana”, disse o presidente da Companhia Municipal de Transporte Coletivo (CMTC), Sandro Martins.
Para o diretor-presidente da Comec, Omar Akel, as alterações também tem um lado positivo. “O transporte municipal deve ser fortalecido para incentivar o uso e as atividades no próprio município, mas será mantida a integração com a rede metropolitana através das linhas metropolitanas”, relatou Akel.
A Comec também vai estudar mudanças no sistema de outras cidades da Região Metropolitana de Curitiba, como São José dos Pinhais e Fazenda Rio Grande.
Fim da integração
Para garantir ao usuário de ônibus um preço único de passagem, o Governo do Paraná – por meio da Comec – e a Prefeitura de Curitiba mantinham um convênio que venceu em dezembro de 2014 e não foi renovado. Sem acordo entre as partes, a unificação das linhas de transporte urbano de Curitiba e Região Metropolitana acabou.
A partir de fevereiro, as responsabilidades sobre o gerenciamento do transporte passaram a ser divididas entre as esferas municipal e estadual. Os valores praticados na capital paranaense são de R$ 3,15 para pagamento com o cartão transporte e R$ 3,30 para quem pagar a passagem em dinheiro.
Os preços da passagem de ônibus para as linhas metropolitanas, que compõem a Rede Integrada de Transporte (RIT), é o mesmo de Curitiba – R$ 3,30. Porém, segundo a Comec, os valores são variáveis de acordo com as linhas, e não necessariamente seguem o mesmo preço estipulado para as linhas da RIT.

Postagens mais visitadas deste blog

Sergio Moro pede apoio do povo brasileiro e diz que vai até o fim

O aniversário de 44 anos do juiz Sergio Moro nesta segunda-feira (1º) tem movimentado as redes sociais, principalmente entre os apoiadores da Operação Lava Jato e do impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). 



O Movimento Avante Brasil, um dos organizadores das manifestações de 2016, prepara um “Twittaço” para esta segunda, às 18h.

Os protestos deste domingo (31) anteciparam as comemorações. Os manifestantes cantaram parabéns para o magistrado, responsável pelos processos na primeira instância.

A hashtag #FelizAniversarioMoro já é bastante publicada no Twitter na manhã desta segunda-feira. As mensagens se revezam entre agradecimentos, pedidos de prisão, “indiretas” e apelos ao “herói do povo brasileiro”.

90% dos juízes apoiam plea bargain de Moro

Pesquisa 'Quem somos. A magistratura que queremos', realizada pela Associação dos Magistrados Brasileiros, revela que a grande maioria de toga declara-se favorável ao sistema de transação penal que ministro da Justiça incluiu no pacote com alterações em 14 leis levado ao Congresso na semana passada.



Cerca de 90% dos magistrados brasileiros apoiam o plea bargain, acordo penal usado em larga escala nos Estados Unidos e defendido pelo ministro da Justiça Sérgio Moro, o ex-juiz federal da Operação Lava Jato. A informação consta de pesquisa realizada pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), maior e mais influente entidade de classe que reúne em torno de 15 mil juízes de todo o País. A toga faz uma ressalva: endossa o plea bargain ‘desde que haja participação dos juízes’ nos acordos.

A pesquisa da AMB, rotulada ”Quem somos. A magistratura que queremos’, é um consolidado das cerca de 4 mil respostas ao questionário enviado a magistrados brasileiros, ativos e inativos, e aos m…

PF divulga inventário de Marisa Leticia, R$ 12 milhões em imóveis

Com informações doO Antagonista, Os advogados de Lula entregaram à Justiça a relação de bens do petista e de Marisa Letícia, morta em fevereiro deste ano.



As informações fazem parte do inventário da ex-primeira-dama. O patrimônio declarado do casal soma 11,7 milhões de reais, conforme a lista de bens abaixo:

1 – Apartamento residencial no Edifício Green Hill, em São Bernardo do Campo
Valor: R$ 602.435,01

2 – Apartamento residencial, número 92, no Edifício Kentucky, em São Bernardo do Campo
Valor: R$ 179.606,73

3 – Apartamento residencial, número 102, no Edifício Kentucky, em São Bernardo do Campo.
Valor: R$ 179.606,73

4 – Fração do Sítio Engenho da Serra, em São Bernardo do Campo
Valor: R$ 413.547,57

5 – Direito de aquisição de uma fração do Sítio Engenho da Serra, em São Bernardo do Campo
Valor: R$ 130.000,00

6 – Automóvel Ford Ranger 2013/2013
Valor: R$ 104.732,00

7 – Automóvel Ômega CD 2010/2011
Valor: R$ 57.447,00

8 – Conta corrente no banco Bradesco
Valor: R$ 26.091,51 (posição de fevereiro/2017)

China sugere ao Brasil a Lei que dá pena de morte para os políticos corruptos

Tribunal popular ѕuрrеmо dа Chіnа еѕtаbеlесеu umа lеі que tráѕ a реnа de morte, раrа оѕ роlítісоѕ corruptos que fizeram desvio dе vеrbа, frаudе fiscal e ԛuе rесеbеrаm vаlоrеѕ іlíсіtоѕ.



Eѕtа Lei соmеçоu a tеr rеѕultаdо a раrtіr dеѕѕе аnо de 2017, ао ԛuаl ѕе torna um рrосеѕѕо lеgаl e fаz parte de uma revisão dо código реnаl de 2016, onde оѕ vаlоrеѕ аrrесаdаdоѕ nãо еrаm соmbіnаdоѕ раrа justificar оu nãо a арlісаçãо da pena de morte. 

Cоm a corrupção nо Brasil еѕtа соnhесіdа mundialmente e іѕѕо vem afetando várіоѕ países, a Chіnа соnvосоu ao рrеѕіdеntе mісhеl tеmеr a umа reunião ао ԛuаl o presidente dа China рrорõеѕ estabelecer еѕѕа lei nо Brаѕіl.

ONU rejeita pedido de Lula para sair da prisão

O Comitê de Direitos Humanos daONU rejeitou nesta terça-feira a solicitação da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que este órgão ditasse uma medida cautelar a seu favor para evitar que permaneça preso.



“Para que se peça a um Estado que se estabeleçam medidas cautelares se deve demonstrar que este está violando de forma irreparável alguns dos preceitos do Pacto e, se baseando na informação que Lula apresentou ao Comitê, não se demonstrou que estivesse em risco de sofrer um dano irreparável”, disse em declarações à Agência Efe uma das integrantes do Comitê, Sarah Cleveland.

A solicitação dos advogados a este órgão da ONU incluía um pedido para que o governo brasileiro impedisse o ingresso de Lula na prisão até que se esgotassem todos os recursos jurídicos, embora o ex-presidente esteja preso desde o último mês de abril.